quinta-feira, 8 de maio de 2008

As melhores e as piores capas de discos de rock de todos os tempos - Parte 1

Talvez um dos grandes diferenciais do rock em relação a outros estilos musicais é que ele não se limita apenas ao som. Sempre existiu uma preocupação muito grande por parte das bandas com a própria imagem, o que inclui roupas, acessórios, maquiagem, produção dos shows, poses, trejeitos, luzes, teatro, polêmicas, plumas, paetês, purpurina, laquê, etc. Bem, até aí, talvez você encontre gêneros que também fazem essa linha, mas, um caso totalmente à parte e quase exclusivo do rock são as artes das capas.

Faça um exercício. Vá até uma loja de discos (enquanto ainda existem algumas!) e procure uma seção qualquer, pode ser sertanejo, axé, pagode, cantores internacionais, etc. Conte quantas capas trazem apenas e tão somente uma foto do artista, ou algo parecido. Surpreso? Quase todas não é?

Pois então, o rock, ao contrário, sempre apelou para o visual das capas. Desenhos, pinturas, montagens, fotos, e muito mais fizeram deste capítulo um dos mais interessantes e intrigantes da história do rock. Estratégia de marketing? Talvez, pois na época do vinil, até pelo tamanho, a arte de uma capa chamava a atenção até de quem passava na calçada do lado de fora da loja. Independente de qualquer coisa, o fato é que o universo das capas é um caso particular dentro da história do rock, dando margem a dezenas de posts: as melhores capas, as piores capas, as mais engraçadas, as mais polêmicas (e não foram poucas), etc, etc.

Decidi fazer um post variado, com diversos tipos de capas classificadas do meu jeito, não necessariamente o melhor jeito, mas simplesmente o meu jeito. Desde já quero esclarecer que as capas que serão apresentadas aqui são apenas uma pequena amostra do que existe por aí. Portanto, comentários com sugestões de capas omitidas nessa lista serão muito bem vindos.



Clássicas
Grande parte das capas que eu conheço se encaixam aqui. O critério utilizado foi muito simples: são artes que traduzem o espírito do rock and roll, seja pela sua simplicidade, seja pela sua criatividade ou pela sua transgressão aos padrões. Estampariam facilmente a camiseta de um fã.



Toscas (seri
am cômicas se não fossem trágicas!)
Capas realizadas, em grande parte, com sérias restrições orçamentárias. Além disso, o mau gosto é latente.




Viajantes
São aquelas capas surreais ou aquelas em que fica a sensação de nada a ver. Em geral, as bandas de rock progressivo apreciam bastante este tipo de capa, mas as bandas de heavy metal também dão suas viajadas.




Engraçadas
Na verdade, muitas das capas consideradas nessa categoria também poderiam figurar na categoria toscas.





Apelativas e/ou Provocantes
O rock sempre apelou muito para o sexo, seja nos trejeitos dos frontmans, seja nas letras. As capas com esse tema também sempre foram muito exploradas.




Enigmáticas
São aquelas capas que você fica olhando por horas, procurando algum significado supostamente escondido.




Polêmicas e/ou Chocantes
Muitas vezes, a intenção é chocar pura e simplesmente os não-iniciados nas artes ocultas do rock (nessa eu me superei!), seja de forma discreta, seja de forma explícita. A violência, a sanguinolência e as blasfêmias são as preferidas das bandas que se utilizam deste expediente.











Exuberantes
São aquelas em que a riqueza de detalhes é sempre parte importante. As bandas de metal melódico costumam apreciar esse tipo de capa. Dá vontade de emoldurar e colocar na parede.






5 comentários:

ulires disse...

bom, quem sou eu pra tecer algum comentário sobre o que é melhor e o que é pior na história do rock!? Mas, há quem diga que "se você ouve música, você também é um crítico de música"... se é verdade ou não, foda-se!

gostei muito do post e acho que você vai ter um trabalhão pra fazer as partes 2, 3, 4, 5,... entendeu né?

você colocou aí capas que me fizeram pensar em muita coisa, como as da donzela (éééé, fui ao show!), pink floyd (grande influência do meu velho), sabbath, metallica, nirvana (uau!).

Pensar um album de rock sem a arte das capas é não pensar no album. E ver a evolução de cada banda e a preocupação delas a cada album é emocionante, porque na certa essa preocupação também será percebida onde realmente importa, nas músicas.

\o/

...:::Superatrativo:::... disse...

A capa do King Crimson é uma das mais enigmáticas que já vi.

Acredito que tanto ela quanto a do Pink Floyd - Atom Heart Mother estão em categorias adversas, mas isso é uma opnião minha...rss

Já a do Uriah Heep, tosca eu não diria, mas que é bem estranha é..

Acredito que tanto eu quanto o Ulires aguardamos a parte 2,3,4,5...100.[RISOS].

Parabéns pelo post

Renato
[Superatrativo®]

Glanzel disse...

Olha, diria que a capa do Uriah Heep parece tosca pelo ano que foi feita, afinal pelo que me lembre foi início dos anos 70. Naquela época uma capa dessas era um baita capa!
Concerteza o Albúm "Bananas" do Deep Purple substitui fácil esse aí.

Mas muito bem feito, deve ter dado um trabalhão ;).

Abraços

GER@ disse...

as do stratovarius são muito viajadas, gosto de todas

Anônimo disse...

Bananas, do Deep Purple, realmente, é terrível... nada a ver com rock!